terça-feira, 17 de março de 2009

Pensamento sem Rumo

"Sentado na sala com os olhos distantes observava o movimento veloz das nuvens... enxergava possibilidades pela janela.. frações do todo.. sonhos.. desejos... imaginação.. mais uma vez lá estava ele voando pelo mundo das idéias... etéreo... aéreo...como a lua cheia que vibrava com uma auréola de energia em sua volta, uma luz que lhe lembrava de algo que ele havia esquecido mas continuava sem saber o que era... nem se isso realmente importava... era um tempo, como tantos outros tempos que passaram.. todos iguais, todos diferentes...e o que determinava agora ver a mesma paisagem, sentado na mesma cadeira, através do mesmo vidro , de um jeito que poucas vezes havia presenciado, era seu estado de espírito.. hoje ele enxergava mais longe.. além do bairro, além das fronteiras, além dos limites... tinha a imensidão dentro de si.. um sentimento dentro do peito.. uma vontade que ele já conhecia.. era a mudança, sua velha conhecida, chamando mais uma vez.. fazendo cada célula de seu corpo pulsar.. sonhando acordado.. pensamento sem rumo.. desatino sem destino... solto no espaço.. na beleza única do caos.. da falta de causalidade... do vazio que preenche... do todo que se esvazia...do céu além do véu de maia...cada vez mais longe... mais complexo e mais incerto, ele voa... voa... voa... voa.. . . .... mas volta, de volta para a sala, a mesma sala.... ao olhar para frente percebe a si mesmo no reflexo do vidro e deixa escapar um pequeno sorriso pelo canto da boca.. a verdade é que ele era um bom amigo do talvez... e para ele, estes momentos de indefinição, quando a alma quer falar e a mente ainda não consegue entender o que ela diz, tinham uma certa mágica... uma excitação escondida por trás do movimento eminente... fazia tempo que não era tomado por esse sentimento, um sentimento que o visitava de vez em quando para lembrá-lo de manter-se alerta, de deixar a porta aberta... afinal ele ainda tinha uma missão a cumprir por aqui, só não sabia ainda exatamente qual......... agora sim, o sorriso do canto da boca tomava conta de toda sua alma... se recostou, relaxou na cadeira.. tinha fé que toda inquietação era na verdade um sopro de vida indicando qual caminho seguir... era só questão de tempo e paciência... "
Paulo Abdala

Simplesmente perfeito o texto, o Paulo escreveu tudo oque eu estou sentindo neste momento e que eu escrevendo não ficaria tão bom..
Obs:(Pato tomei a liberdade de divulgar teu texto, espero que tu não se importe!kisses)

2 comentários:

Mariana Barreto disse...

lindo!

Paulo Abdala, O Sonhador disse...

Dale dale! Um prazer ver meu texto aqui... curto bastante esse espaço rosanadacomummasbembacana do blog de vocês... palavras são escritas para voarem..

Mais coisas minhas em http://teiadosonho.blogspot.com/

beijos