quarta-feira, 11 de março de 2009

Generalizando..

Sempre fui recriminada por generalizar. Hoje venho aqui lutar pelo meu sagrado direito de generalizar. Não nego as exceções, mas também não pode ser negado que existe uma regra geral.
Eu sei que não existem verdades absolutas, que nada é preto no branco. Mas também é inegável que existem tendências. Algumas verdades são incômodas, por isso, a gente se apega às exceções e esquece que a regra geral é uma realidade muito inconveniente. É prudente ter em mente a regra geral para tomar algumas decisões nas nossas vidas, por mais que a gente ache que está diante de uma exceção.
É tentador afastar a generalização e trabalhar apenas com as exceções, confiando que no seu caso, vai ser uma exceção. Pode não ser. Esteja pronta para o caso de não ser.

Ao generalizar, não necessariamente se nega a existência de exceções.
Não entendo porque isso é tão repudiado. Ora, se a regra geral é o mais comum, até que me provem o contrário, classifico as pessoas pela regra geral. Tem que ralar muito para me provar que é exceção. Seria preconceito?
Sempre que abro a boca para dizer alguma verdade incômoda vem uma boa alma e grita
"Não generaliza, Laura!".
Como assim não generalizar? No geral, a coisa é assim, fazer o quê? Negar que existe uma tendência geral é tão burro quanto negar que existem exceções...

2 comentários:

Mariana Barreto disse...

tu ta mto talentosa hj preta, essa minha gripe n ta deixando eu te acompanhar!

Laurinha disse...

são as energias se renovando, hauhuahuahau
está tudo tão claro na minha mente ultimamente...