segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Não te tocar, não pedir um abraço, não pedir ajuda, não dizer que estou ferido, que quase morri, não dizer nada, fechar os olhos, ouvir o barulho do mar, fingindo dormir, que tudo está bem, os hematomas no plexo solar, o coração rasgado, tudo bem.
Caio Fernando Abreu

Um comentário:

Angélica Lins disse...

Amo Caio F.
Leio muito seus escritos, mas esse foi de arrepiar pelos e alma.

Muito bom iniciar a semana vindo aqui.
=)